Menu Papel POP

As melhores entrevistas com especialistas do “Lady Night”

MAIS SOBRE:

O melhor quadro do “Lady Night”, programa da Tatá Werneck no Multishow, é o “Entrevista com Especialista”. Aceita!

Tatá chama um expert em um determinado tema e começa a fazer perguntas simplesmente absurdas para a pessoa, coisas que não têm nada a ver com o conhecimento do especialista.

Na primeira temporada do programa a gente teve pérolas como essas:

“Se no lugar de uma maçã tivesse caído uma jaca na cabeça de Newton, onde estaríamos hoje?”

“Se eu sonho com um cavalo, acordo na minha cama e esse cavalo não está comigo, qual é a idade do cavalo? Cite-me e comente-me.”

“Você acha que o desaparecimento das abelhas tem a ver com o sumiço do Kid Abelha? Comente.”

A nova fase, que estreou em outubro, foi ainda melhor. No dia do Neymar como convidado, por exemplo, Tatá conversou com um vidente. Uma das pertinentes perguntas:

“7 x 1: onde o senhor estava e por que não nos avisou?”

Com um engenheiro agrônomo, rolou essa:

“Se eu plantar sete melancias, oito melões geneticamente modificados + 100g de proteína + 400ml de silicone, nasce Gracyanne Barbosa?”

Na entrevista com o historiador Antonio Rodrigues, Tatá quis saber:

“A Guerra de Canudos aconteceu numa lanchonete?”

Com um oftalmologista, a dúvida:

“Uma consulta com o senhor custa os olhos da cara, e só é possível pagar a vista?”

Na frente do maestro Ricardo da Rocha, Tatá levantou a questão:

“Um bonecão do posto poderia realizar bem o seu trabalho?”

Com um mergulhador, a curiosidade:

“A que profundidade começa a tocar Enya debaixo do mar?”

E essa com uma sexóloga:

“A senhora escolheu a sexologia como objeto de estudo porque levou pau em outras matérias?”

Gosta de outras entrevistas com especialistas que não entraram no post? Conta aqui nos comentários!

Comentários

Topo