Menu Papel POP

Show 1 de 2 do Maroon 5 no Rock in Rio: não era Gaga, mas valeu

MAIS SOBRE:

Substituindo Lady Gaga, o Maroon 5 encerrou a primeira noite do Rock in Rio 2017. O grupo não fez nada além do esperado, e isto não significa que a apresentação foi ruim. Gostando ou não, a banda é bem popular e tem muito carisma, o que faz com que tenha muitos fãs deles na plateia mesmo não sendo o dia programado.

Vale lembrar que a noite original deles foi a primeira a esgotar os ingressos. Mas poxa, Maroon 5, teria sido justo fazer pelo menos uma homenagem à cantora durante as quase duas horas de show, né?

Com Adam Levine usando uma jaqueta de couro preta e uma camiseta escrita “amor eterno”, o grupo abriu a apresentação com “Moves Like Jagger”, levantando o público como se fosse o headliner normal desta noite. Mas o que conquistou um coro ainda maior foi a faixa seguinte, “This Love”, afinal um hino é um hino.

Abandonando a jaqueta, Adam Levine começou a pular cantando “Harder to Breathe”. Mas o público já não estava mais tão animado. Afinal tá tarde né gente. Cansa as pernas ficar aqui o dia todo, e vamos combinar que esta canção não é realmente um dos grandes destaques para o grupo. Mas eles têm anos de estrada e sabem bem fazer show, e logo levantaram a plateia de volta com “One More Night”, “Misery” e “Love Somebody”.

AAAUUUU! Olha o uivo do lobo! “Animals” continuou a mostrar que a banda tem hits o suficiente para animar a galera. O show prosseguiu com “Maps” e “Lucky Strike”, até chegar a mais um clássico deles, “Sunday Morning”, aquele tipo de música que é quase impossível não cantar junto.

Chega aquela hora que Adam Levine resolve apresentar todo o resto da banda, o solo que parece durar uma eternidade e que você se divide entre tirar mais algumas selfies e aplaudir os artistas. Mas vamos logo pra mais música. Em seguida teve “Make Me Wonder”, “Payphone” (que começou bem lenta acompanhada pelas vozes da multidão) e “Daylight”.

Eis que o grupo pensou “poxa estamos no Rio de Janeiro, vamos tocar aquela música famosa daqui”. Então o bis começou com uma homenagem à cidade com “Garota de Ipanema”. “Eu não falo português, mas esta noite eu vou falar. Esta é uma das canções mais bonitas já compostas”, disse Adam Levine, antes de se unir aos brasileiros que praticamente já nascem sabendo cantar essa música.

No finalzinho do show ainda tem “She Will Be Loved”, que se mostra como uma música que o público nunca vai recusar, nem deixar de cantar. Para encerrar dois sucessos recentes deles: “Don’t Wanna Know” e “Sugar”.

Ok, no geral o show do Maroon 5 foi simplesmente mais um show do Maroon 5, com algumas diferenças no setlist em relação a sua passagem pelo Brasil no ano passado, e praticamente idêntico ao que foi apresentado no show de Curitiba, no dia 14 deste mês. Mas óbvio que a energia de um festival como o Rock in Rio é bem diferente.

Agora resta saber se na noite de sábado, quando fará seu segundo show no festival, o grupo planeja mudar algo ou será apenas um repeteco. De qualquer forma, valeu, Maroon 5, foi um bom show.

Comentários

Topo