Menu Papel POP

Sem Gaga, Ivete se torna a grande diva da abertura do Rock in Rio

Depois de abrir os trabalhos do Palco Mundo, o principal do Rock in Rio, com uma performance de “Imagine” ao lado de Gisele Bundchen, Ivete Sangalo, a rainha do pop brasileiro, começou o seu show com “Farol”.

Sem Gaga, que cancelou o show na véspera, Ivete se tornou a maior diva da noite. Com botas e um casaco cheio de brilhantes (e o nome do primogênito Marcelo estampado nas costas) Ivete fez a maior festa e levantou poeira com os hits que todo brasileiro conhece (mesmo que negue). Ainda bem que o Rock in Rio não tem problemas com o axé, assim como tem com outros ritmos populares brasileiros, mas esperamos que isso melhore em possíveis futuras edições.

Nesta semana, a cantora revelou que está grávida de gêmeos, mas nem por isso diminuiu a energia (e os pulos) no show. Depois de cantar “Festa”, “Sorte Grande” (com um remix funk no meio), e “Abalou”, Ivete homenageou Cazuza com “Pro Dia Nascer Feliz”, momento que recebeu muitos aplausos do público ao trazer bandeiras contra o racismo e a homofobia.

dia1_mundo_ivete_fernandoschlaepfer_ihateflash_006

Ivete parou um pouquinho para conversar depois de “Tempo de Alegria”: “Eu poderia mudar meu nome para Alegria. Hoje estou cheia, literalmente, de alegria”, e ainda usou o melhor bordão do rock in Rio: “Hoje é dia de rock, bebê”. Em seguida, arrancou o casaco, ficando só com um maiô brilhante (que deixou sua barriguinha de gravida bem aparente) para entoar um dos seus maiores sucessos: “Eva”, uma música que era praticamente impossível achar alguém que não estivesse cantando junto no meio da multidão. “Eu tô me achando”, disse ela no meio da música, com toda a razão e direito. Ainda teve mais hits que os fãs órfãos de Gaga não paravam de cantar e dançar, como “Beleza Rara”.

A única parte sem graca do show foi o lançamento mais recente de Ivete, “À Vontade”, uma parceria com Wesley Safadão (que não estava no festival). Como quase ninguém conhece a música, neste momento o público só pôde observar e aguardar o próximo sucesso.

Ivete precisou parar o show para cortar um pedaço de seu vestido que descolou: “Não corte muito não porque são dois anos de parcela isso aqui”. E tentou simular o carnaval soteropolitano com homenagens a Daniela Mercury com “O Canto dessa Cidade”, e Claudia Leite, com “Bola de Sabão”, É o Tchan, e a si mesma (e seus dois filhos na barriga), com “O Doce”.

Debochada, pediu pra mostrar seus peitos no telão, logo antes de entoar “Chupa Toda” (ou chupa rola, como o público preferiu cantar). Ao final da música, Ivete tentou mandar um recado para a galera, mas seu microfone estava cortado. Ivete foi então para os tambores para o comecinho de “Avisa Lá”.

Depois, Ivete “invocou” um pianinho para a calma e romântica “Quando a Chuva Passar”, que o público também não deixou de se entregar ao coro, tanto que ela nem precisou cantar a última estrofe.

Antes de encerrar o show, Ivete Sangalo fez uma homenagem ao grande nome da noite que infelizmente ficou faltando, Lady Gaga. “Eu como fã dela fiquei muito triste. Queria muito tirar uma foto com ela. Não tem coisa que condene mais o artista do que dizer aos fãs que não poderá encontrá-los. Como artista como colega, a gente tem que mandar energia muito boa para ela”, e engatou alguns versos de Bad Romance pedindo uma saudação à cantora americana.

O show de Ivete se encerrou em alto astral com outro grande hit: “Arerê”, fazendo todo o público pular ao som do bom e velho axé.

Com essa abertura do Rock in Rio, ela provou mais uma vez que: Ivete Rainha, o resto nadinha.

Comentários

Topo