Menu Papel POP

Lauren Jauregui defende imigrantes nos EUA: “Esse nacionalismo que vocês têm é uma farsa”

Lauren Jauregui demonstrou seu apoio aos imigrantes e criticou Donald Trump em uma poderosa carta aberta. A cantora mais uma das celebridades que pede união e para que os norte-americanos repensem suas atitudes – em detrimentos as medidas adotadas pelo governo de Donald Trump.

As incríveis palavras de Lauren foram divulgadas na revista People hoje (30/01), e merecem um minuto de sua atenção.

Confira a carta traduzida abaixo:

“Levante as mãos se você é um imigrante, ou filho e filha de imigrantes, ou neto de imigrantes, ou bisneto, ou tataraneto-netos? Espere…estão todos de mãos dadas – inclusive você, Sr. Trump – exceto os povos indígenas da América?! Porque eles deveriam estar também.

Em 1492, alguns conquistadores espanhóis que estavam em busca de expandir seu império desembarcaram aqui, escravizando e assassinando os povos indígenas que habitavam e cuidavam de suas bela América, tanto do Norte como do Sul. Em 1620, separatistas cristãos europeus escapando da perseguição religiosa desembarcaram aqui e começaram suas colônias fazendo o mesmo.

Pelas as ondas ambarinas de grão / Pelas montanhas majestosas púrpuras sobre a planície de frutos / América, América, Deus derramou Sua Graça em ti / E coroou teu bem com fraternidade / E coroou teu bem com fraternidade [letra da música ‘America The Beautiful’].

Tudo que te ensinaram e tudo vocês sabem, esse nacionalismo que vocês têm desde que nasceram aqui ou de quando vieram para cá, é uma farsa. Quando todos nós começarmos a acordar e perceber que nossos confortos são passageiros e que mais dinheiro nunca vai salvar este mundo, talvez, apenas talvez, vamos ser capazes de retomar aos valores dos princípios da América.

Essas listras [da bandeira dos EUA] deveriam simbolizar o sangue brutal de uma luta pela libertação da opressão, quando na verdade foram de um legado de conquista e poder de apenas alguns homens. Não há patriotismo para esta bandeira, sem uma crença nos direitos constitucionais que foram adotados da Constituição Iroquois [constituição anterior a atual nos EUA].

Esse país foi construído e continua sobrevivendo nas costas dos imigrantes e refugiados. O termo refugiado em si é uma palavra tão significativa. Essas pessoas não são terroristas: muitos estão fugindo das guerras que criamos em suas terras. Dizer a outro ser humano que as torturas da guerra não são importantes e, então, ir ainda mais longe e insultar sua difícil situação de liberdade, rotulando-os de “terroristas” é apenas desrespeitoso à humanidade. O único terrorismo que a história e eu experimentamos está nas mãos de poderosos homens brancos que estão dispostos a matar e conquistar sistematicamente sem um pingo de empatia por nada além de seus bolsos.

Precisamos perceber o quão importante é o tempo em que estamos vivendo. Meus jovens que entenderam e não escolheram isso para seu futuro, a geração mais velha que escolheu cegamente esse futuro confortável que todos nós imaginamos: Onde nunca conhecemos a guerra, nunca conhecemos a dor do desconforto, fomos privilegiados e prometidos em nosso esquecimento moral.

Desviamos do verdadeiro significado da vida. Nós substituímos o Criador com dinheiro e o reivindicamos em nome da guerra. Desonramos nossos filhos. Temos assassinado e sistematicamente aprisionado, abatido, desvalorizado e drogado a maioria. Destruímos nossa Mãe Terra. Nós nos escravizamos para o homem e nem nos incomodamos com as conseqüências.

Se você está indo aos protestos, se você precisa de seguro de saúde para si mesmo ou um ente querido, se você é uma mulher, se você é uma pessoa de cor, se você está desabilitado, se você praticar qualquer tipo de religião, se você se preocupa com o ar que respira e com a água que bebe, se você compareceu aquela marcha feminina em qualquer cidade, estado ou país onde você veio, você precisa lutar. Precisamos nos unir e deixar esse governo saber que não vamos defender uma outra Alemanha nazista, Rússia de Stalin ou China de Mao Zedong. A lista é interminável no curso da história, e tudo acontece exatamente da mesma maneira. A frase que a história se repete não é um clichê gratuito.

Por favor, prestem atenção ao perigo e ao aviso de bênção de que ainda vivemos em um país onde os princípios fundadores que esses republicanos juram defender ainda estão protegidos. Essas promessas vazias, ordens executivas perigosas, essa obsessão com o dinheiro – não poderemos beber óleo ou comer papel sujo, manchado de sangue e níquel. Por favor, por favor, ouçam.

Procure pelas organizações IPJC.org e ACLU.org para ajudar em uma comunidade perto de você. Nós não temos poder só com tuítes e posts Instagram. Precisamos de ação. Deixe seu futuro voltar as suas mãos.”

Lauren Jauregui mostrando que tem uma voz e está fazendo com que todos ouçam! Que belo texto!

Vale lembrar que no ano passado, depois das eleições norte-americanas, a cantora se declarou bissexual e escreveu uma carta manifestando sua indignação quanto a eleição de Donald Trump para presidente dos Estados Unidos e todos que votaram nele.

Comentários

Topo