Menu Papel POP

Você ama ou odeia Big Brother Brasil? Blogueiros respondem…

MAIS SOBRE:

Você ama ou odeia o BBB?

Todo ano é a mesma coisa! Tem especial do Roberto Carlos e, no comecinho das férias, chega o BBB! Milhares de comentários nas redes sociais sobre o BBB: aqueles que amam, que comentam cada episódio, cada festa, cada briga, que torce e aqueles que odeiam e acham tudo isso uma perda de tempo, uma alienação, um tiro na testa da cultura. É o céu e o inferno.

Foi por isso que o Papelpop resolveu abrir a discussão perguntando primeiro para os blogueiros mais influentes do Brasil (e também para a Val Marchiori!). Será que eles amam ou odeiam o BBB?

Blogueiros brasileiros falam sobre o programa…

Val Marchiori (Hello!)

“Não gosto de BBB. Nada contra, mas acho chato. Pessoal ficando em uma casa, sem glamour, sem fazer nada de bacana. Tudo meio pobrinho. Depois de ficarem horas e horas em uma prova, a Globo podia dar um champanhe, pelo menos, para o vencedor. Mas nem isso, coitados! Na Band não tem isso não! Prefiro viver a minha vida aqui fora!”

Camila Coutinho (Garotas Estúpidas):

“Adoro! Sou viciada, desde o BBB 1. Meu pai não deixava eu assistir, mas eu assistia escondida. Eu acho que essa edição vai ser diferente, mais legal, por unir pessoas novas e antigas. Tava meio parado, as últimas edições foram chatas, mas eu assisti todas, pelo costume. É bom como lazer, pra tirar a cabeça do trabalho. Tem muita gente, inclusive alguns amigos “indies” e “cool”, que não gostam de BBB, mas assistem “America`s Next Top Model” trancado no quarto.”

Antonio Pedro Tabet (Kibe Loco):

“Minha relação com o “BBB” é de amor e ódio. Amor porque é o tipo de conteúdo de gera várias piadas para o site e assunto entre os amigos viciados na atração. E ódio porque acho que já deu o que tinha de dar. Encheu o saco um pouco. São pessoas iguais, na mesma casa, com o mesmo apresentador, fazendo as mesmas provas. Cansou. Mas… fazer o quê? A Globo é especialista nas repetições, nos bordões… e isso não é demérito. Enquanto der dinheiro, fabricaremos as subcelebridades de lá.”

Maurício Cid (Não Salvo)

“Eu acho que o BBB é uma benção de Deus. Poucas vezes no ano eu consigo encontrar programas tão bons e de qualidade como essa nave cheia de loucos, pirados e safadinhos. O BBB serve como um estudo antropológico e deveria ser materia de psicologia nas faculdades e principalmente no ensino médio para moldar o caráter das novas gerações. BBB é vida. Se BBB não fosse bom, não começava com B de bacon. O BBB já revelou grandes pensadores nacionais como Iris Siri, Kleber Bambam e Maria Eugênia, que mesmo sem falar de fato, tinha um olhar que ja dizia muita coisa. Enfim, eu poderia elogiar o BBB aqui por muito tempo, mas cansei de ser falso.”

Como você pode ver, é muito divertido o BBB! Urrul, Bial! \o/

Lia Camargo (Just Lia)

“Eu acompanho BBB apenas pelo estudo antropológico. Acho fascinante o estudo daquelas diferentes espécimes, seus relacionamentos e toda influência que o isolamento externo causa na mente deles. E também gosto de ver briga e sexo reais na TV… Só por curtição mesmo! Hehehehe!”

Alexandre Inagaki (Pensar Enlouquece):

“Eu gosto de reality shows. Assisti à primeira “Casa dos Artistas”(que, diga-se de passagem, foi o melhor reality show de todos os tempos), vi “No Limite” e acompanho o BBB desde a primeira edição, vencida pelo harmonioso casal Kléber Bambam e Maria Eugênia. Alguém pode me questionar: qual é a graça em ver gente se embebedando, falando palavrões, fazendo confissões vexaminosas, dando amassos sob edredons e expondo suas fraquezas e sentimentos diante de câmeras de TV? Toda, oras! Admito que tenho um espírito futilmente voyeur, que se diverte em conferir a boçalidade de fulano, a luxúria de sicrana e a ingenuidade de beltrano neste aquário de pessoas que é o BBB, delatando tudo que elas fazem e falam durante 24 horas. No fim, acaba sendo uma encenação divertida da vida como ela é, uma vez que, a não ser que você seja um personagem de Woody Allen, ninguém consegue ser inteligente, espirituoso e sagaz o tempo todo.”

Thiago Pereira, (Cleycianne):

“Como não amar o BBB? É o maior celeiro de subcelebridades do Brasil! São eles que vão ilustrar os sites de (sub)celebridades nos próximos meses, com notas absurdas e fazendo de tudo pra aparecer. O programa é divertido, mas o desespero para manter os 15 minutos de fama é muito melhor.”

Rosana (Querido Leitor):

“Amava o Big Brother original! Odeio a versão brasileira porque coloca todas as melhores ferramentas da TV a serviço do pior do ser humano. :)”

 

- Ai, que ridjículow, Bial!

Daniel Carvalho (Katylene):

“Eu amo AND odeio o BBB. amo porque eu acho muito maravilhoso poder ver em tempo real as pessoas pirando e odeio porque quando acaba fica aquele vazio no meu coração e na minha timeline, e desde avenida brasil eu ando muito sensível com o fim dessas coisas, sabe?”

Rodrigo Fernandes (Jacaré Banguela):

“Eu acho legal ter esse tipo de programa na TV. Nós, brasileiros, gostamos de nos meter na vida alheia e o BBB é o supra sumo disso. Nos metemos na vida de um monte de gente que QUER isso. Ver as pessoas no BBB nos faz sentir superior a elas. Elas são pessoas como nós, falam merdas como nós, erram o português como nós, opinam sobre assuntos sem importância nenhuma como nós, mas nós não estamos lá, expostos para o Brasil todo, mas nos sentimos bem em julgá-los, pois eles estão na chuva para se molhar, ou seria se molharem?”

Carlos Merigo (Brainstorm#9):

“Nenhum extremo. Teve uma época, no início, que eu até assistia e me divertia. Depois que passou a novidade me desinteressei e atualmente prefiro dedicar meu tempo televisivo para ver filmes e séries. Não condeno quem gosta e também não entendo esse levante de quem odeia. Adoro futebol, por exemplo, e não quero que ninguém me dê um sermão por isso.”

Cenas como estas? Só no BBB 13. Ou você ama ou odeia…

Bia Granja (Youpix):

“Eu nao assisto ao BBB desde a primeira edição… Então tô bem por fora. Eu não tenho muito tempo pra ver TV em geral. Entretenimento eu tenho consumido no meu computador pessoal e BBB nunca tá na lista. Hahaha!”

 

Lila Varo ( Mistura Urbana):

“Fico meio impressionada por que existem tantas coisas mais interessantes para se prestar atenção e comentar e a galera perde o tempo comentando um programa dedicado a ‘espiar’ a vida alheia de um monte de gente que quer os 5 minutos de fama por não ter feito absolutamente porra nenhuma.”

Phelipe Cruz (Papelpop):

“Não perco nenhuma edição. Acho algumas ruins, outras boas, mas sempre vejo. Sei muuuuito bem o que é programa e seriado de qualidade na TV brasileira e internacional, mas também adoro reality show e todos têm essa natureza tosca. Não tem jeito. E do BBB eu acabo gostando muito mais porque é trash. BBB é tipo uma novela muuuito ruim. A história é fraca, os atores são péssimos, às vezes não têm protagonistas e os diálogos são ruins, mas também legítimos… Outra coisa linda são as brigas e os barracos/ E a putaria/sensualidade, que é sempre verdadeira. BBB é mais engraçado que o “Jornal Nacional” e o “Fantástico”.”

E você? Ama ou odeia o BBB 13?

Os três comentários mais interessantes serão publicados aqui embaixo também. :)

 

 Regina P. Sartor (Leitora do Papel Pop)

“Não dá pra ter um meio termo? Eu sempre assisti BBB, mas não amo o programa. Crio simpatia por alguns participantes, fico com ódio de alguns… Não sou aquela espectadora assídua que morre e esperneia por qualquer coisa que acontece dentro da casa, mas gosto de acompanhar as provas e tal. Realmente, é um programa fútil e superficial que não acrescenta NADA em nossas vidas, mas cara, muitas coisas que a gente vê na tv e até mesmo no computador são fúteis e superficiais. Chega desse negócio de amor e ódio, vamos ser equilibrados e parar de fazer tempestade em copo d’água.”

 

Elias Roberto Junior (Leitor do Papel Pop)

“Assistir BBB é como assistir animais dentro em um zoológico pela sua TV, sem riscos de que os tigres vão fugir da jaula e te comer vivo. E o melhor, assim como os filmes da Disney, esses animais pensam e falam – não necessariamente nessa ordem. As pessoas tem que parar um pouco de levantar teorias para fazer o mundo para de assistir Big brother, e simplesmente aproveitar o entretenimento e ir durmir logo em seguida. Hahah.”

 

Douglas Carvalho (Leitor do Papel Pop)

“Sabe o que eu mais gosto no BBB? A baderna. Tanto interna quanto externa. Movimenta as redes sociais, incentiva a baixaria, enfim, tudo o que a Tv Aberta realmente é. Amo também por ser ecumênico. Claro, a Globo sempre preza por conceder um tópico mais importante para o programa da Sônia Abraão. Ah, os bordões! É sempre bom aprender novos pra poder usar na rodinha de amigos, e lá a gente ouve aos montes. Enfim, BBB é legal por ser trash, e nenhum “pseudo-cult” pode negar isso.”

Comentários

Topo