Menu Papel POP

Já viu as novas séries “Smash”, “Alcatraz” e “House Of Lies”? Confira nossa opinião!

Oba! Hoje eu vou comentar algumas das novidades mais legais de janeiro! Tem ficção em uma ilha com desaparecimento de pessoas chamada de “Alcatraz”, tem musical com participante do American Idol e o apelo de Marilyn Monroe em “Smash”…

E tem uma outra, batizada de “House of Lies”, que envolve os mais variados tipos de escândalos. Todas com o nosso selo especial de qualidade!

Vamos lá?

“Smash”: melhor do que se poderia esperar…

A qualidade é de filme. Sério! Tanto na parte cenográfica, quanto no figurino, no trabalho do elenco, direção e no principal, os musicais. Quem não se arrepiou com a mocinha interpretada por Katharine McPhee cantando “Beautiful”? Fãs de “Glee” perceberam a superioridade do musical produzido por Steven Spielberg?

Tá certo que “Glee” e a nova da NBC têm propósitos totalmente diferentes, mas “Smash” parece ter vindo provar que dá, sim, para uma série musical ter um roteiro coeso, e não ser apenas um retalho de diálogos que fazem as apresentações musicais ter sentido…

“Smash” pode até ser definida como um caldeirão de ingredientes do sucesso. É uma série musical que tem personagens que são produtores de musicais, produzindo um musical sobre o ícone Marilyn Monroe. Não está satisfeito? Acrescente uma ótima atuação de Debra Messing, que pelo visto deixou sua Grace para atrás a muito tempo, e a diva Anjelica Huston, que é a classe e finesse em cena. Sério, essas mulheres são demais!

Com tudo isso, a série tem mérito o suficiente para ferver e cozinhar por si só, trazendo algumas histórias interessantes para cada um de seus personagens. Tudo está engatilhado e, por isso, já ganhou o título de melhor episódio de estreia dessa leva! Pelo menos para mim :)

Quer saber mais sobre as outras? Então continue lendo depois do pulo!

“Fringe” + “Lost” = “Alcatraz”

Mexer com fã de “Lost” e “Fringe” é tipo xingar de coisa muito grave, eu sei… Acredito que mexer com fã de “Alcatraz” seja a mesma coisa… Mas o trabalho sujo tem que ser feito!

A nova série da Fox (que estreia hoje, na Warner, no Brasil) é uma série boa, com bastante ritmo e um mecanismo de suspense que é assinatura de JJ Abrams. E é isso que me deixa preocupado. O mote de toda série é que há anos a prisão de Alcatraz foi fechada e seus detentos foram transferidos, só que não. Na verdade eles misteriosamente desapareceram e então, nos dias de hoje, passam a pipocar um por um, cumprindo missões secretas e tocando o terror…

Quer dizer… Ela não tem muito de novo e na verdade é um emaranhado de coisas que já vimos nas outras produções prestigiadas do J.J. Abrams. Tem até uma agente em perseguição que acaba perdendo o parceiro em uma situação que descobrimos ser praticamente um Fringe Event. Aliás, qualquer semelhança com Fringe deve ser considerada mera coinciência? A trilha sonora é uma cópia descarada!

Mas, tirando isso e os milhares de clichês distribuídos ao longo do episódio piloto, dá, sim, para se render ao roteiro da história e ficar esperando os próximos episódios. O episódio piloto cumpriu o papel de deixar todo mundo curioso, além de ter uma qualidade técnica impecável!

“House Of Lies”, com Veronica Mars

Sério! Quando uma série chama atenção apenas por uma atriz de seu elenco, e não pelo todo, ela não é lá essas coisas. E a verdade é que uma das poucas coisas boas dessa novidade da Showtime é Kristen Bell, a fadada a “eterna Veronica Mars”. Se vingar, é a Kristen levando a série nas costas.

A ideia até que é bacana: mostrar o dia-a-dia de um grupo de consultores que trabalham com os tubarões empresariais americanos, salvando suas firmas do fracasso. Tem potencial para ser um procedural diferente, trazendo a cada episódio um caso novo de resgate a má administração. Em tempos de crise financeira, esse pode ser um assunto chamativo para público mais interessado em economia e política.

Pode soar chato. Principalmente porque é chato! O protagonista tem uma mania irritante de congelar a cena e explicar o que está acontecendo para a câmera, o que acaba tirando o ritmo da história e indiretamente chamando a audiência de burra. É como se fosse o Geninho congelando a cena para explicar o que está acontecendo, ao invés de perguntar onde estava escondido durante todo o episódio. #FAIL

Sem contar que a tensão entre Jeannie (Kristen Bell) e Martin (Don Cheadle) não convence. Falta química na dupla, ao contrário de escândalos e polêmicas sem propósitos, que tem de sobra. Uma pena…

Mas e você, o que achou das estreias que tivemos até agora?

* Caio Fochetto (@caiofochetto) é paulistano, um dos criadores do Box de Séries e aqui no Papelpop ele sempre escreve sobre seriados todos os domingos.

Comentários

Topo