Menu Papel POP

65 anos de David Bowie! 65 curiosidades sobre o deus camaleão do rock!

MAIS SOBRE:

Esta lista não tem ordem cronológica, esta lista pode ser injusta e esquecer letras, vídeos e momentos marcantes de Bowie. Esta lista também pode ser um pequeno e simples relato de um fã empolgado sobre um grande muso inspirador, gênio da cultura pop, do rock e da arte.

Hoje, domingo, dia 8 de janeiro, David Bowie completa 65 anos de idade. Abaixo, 65 curiosidades sobre o deus camaleão do rock!

1) O primeiro single que Bowie lançou foi na vida foi “Liza Jane”, em 1964

2) O primeiro álbum do astro do rock, chamado David Bowie, só chegou en 1967. “Rubber Band” foi um dos singles de sucesso do disco.

3) O guitarrista Peter Frampton foi amigo do David Bowie desde pequeno. Os dois eram da mesma sala no colégio. No futuro, Frampton tocou com Bowie durante anos.

4) Não existe conhecer Bowie sem saber o que é a “Trilogia de Berlin” (acima). Este é o nome dado para os três álbuns mais importantes, famosos, poderosos e sensacionais que David Bowie fez. Em parceria com Brian Eno, nos anos 70, ele lançou “Low”, “Heroes” e “Lodger” e revolucionou o mundo do rock. Bowie estava em Berlim na época e sofreu influência do pós punk industrial do momento.

5) Bowie começou a tocar saxofone aos 12 anos de idade. E graças à este talento nós ganhamos músicas como “Young Americans”. Tudo bem que o solo do sax é do David Sanborn, mas a criação é toda de Bowie.

6) Aliás, Bowie toca praticamente todos os instrumentos do mundo. No álbum “Diamond Dogs”, de 1974, por exemplo, ele toca todos as coisas em todas as músicas: piano, baixo, bateria, etc. Até aquele famoso solo de guitarra de “Rebel Rebel” (acima).

7) David Bowie completa 65 anos hoje e, assim como outros caras talentosos do rock (Mick Jagger, Lou Reed, Iggy Pop), ninguém o diminui ou o desrespeita por causa da idade. Coisas assim só acontecem com as mulheres mesmo (Madonna, Cyndi Lauper, Debbie Harry…) porque vivemos numa sociedade misógina, burra e injusta.

8) Aos 17 anos, com os cabelos compridos, Bowie deu uma entrevista para a BBC porque fundou uma socidade de Prevenção Contra a Crueldade à Homens de Cabelos Grandes: “Não é legal quando as pessoas te chamam de ‘darling’ e coisas do tipo”.

9) Em “Pin Ups”, de 1973, a modelo icônica Twiggy aparece na capa do disco. Aliás, a cara de Bowie aparece em todos os álbuns dele. O único que não mostra o cantor é uma versão rara de “The Buddha Of Suburbia” que saiu só no Reino Unido.

10) Em 1990, David Bowie fez show no Brasil. Eu era um pirralho e fiquei chorando em casa com vontade de ir. Era época do Plano Collor, o show foi uma fortuna, poucos tiveram a chance de ir.

11) Aliás, foi nessa mesma turnê de 1990 que Bowie trouxe ao Brasil que ele sugeriu para os fãs votarem por telefone (não tinha internet!) na música que eles gostariam que tivesse no show. “The Laughing Gnome” foi a mais pedida, mas Bowie não tocou. Hahaha!

12) Outros dois “nãos” famosos do Bowie: nos anos 70, ele foi chamado para fazer o filme “Bluebird” ao lado de Elizabeth Taylor e não quis. “O filme todo é uma porcaria e eu me recuso”, disse Bowie. Pouco tempo atrás, a Rainha da Inglaterra quis transformar Bowie em “Sir” e o músico também se recusou.

13) Um dos primeiros grandes sucessos de David Bowie vieram em 69. “Space Oddity” (vídeo acima) é um clássico do rock. Quem não conhece a história de Major Tom, boa pessoa não é.

14) Aliás, o personagem Major Tom, o tal astronauta que vai pro espaço em “Space Oddity”, também aparece em duas outras músicas de Bowie: “Ashes To Ashes (1980)” e “Hallo Spaceboy (1996)”

15) Falando em “Ashes to Ashes”, esta música dos anos 80, do álbum “Scary Monsters (and Super Creeps)”, tem um dos clipes mais inventivos de todos os tempos. Ele conta o que acontece logo em seguida com o tal Major Tom. O vídeo revolucionou a história do videoclipe na época.

16) Na letra de “Ashes to Ashes”, Bowie tem uma das letras mais autorais de sua carreira. Através de Major Tom, um de seus muitos personagens, ele conta: “I’ve never done good things/ I’ve never done bad things/ I never did anything out of the blue”

17) Não existe falar de Bowie sem falar citar “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars”, álbum lançado em 1972 e considerado um dos ícones do rock dos anos 70. Foi nesta época que surgiu o personagem Ziggy Stardust, um dos maiores ícones da cultura pop de todos os tempos.

18) A primeira aparição da persona “Ziggy Stardust” aconteceu num show pequeno que Bowie fez no bairro de Tolworth (Londres), no dia 10 de fevereiro de 1972. Com os cabelos vermelhos e cantando hits como “Starman”, ali começava um culto e uma fascinação gigantesca ao cantor na Grã-Bretanha.

19) Ainda na época de Ziggy Stardust, Bowie lançava “John, I’m Only Dancing” e a linda “All the Young Dudes”, que viraram hits instantâneos no Reino Unido. A turnê Ziggy Stardust continuou sucesso e foi parar nos EUA.

20) Aliás, Bowie teve a ideia de todo o conceito de Ziggy Stardust quando se encontrou com o rock star louco de ácido Vince Taylor na Carnaby Street, em Londres. Aliás, a capa do álbum (acima) foi tirada logo ali perto, na Haddon Street.



21)
Depois de Ziggy Stardust veio o álbum “Aladdin Sane”, o sexto da carreira de Bowie. Na época, o trabalho não foi muito bem compreendido, mas hoje é valorizado e tido como disco cultuado e essencial para entender o rock dos anos 70.

22) Ah! O trovão no rosto! Precisa falar dele? A maquiagem imortalizou a imagem de Bowie e se tornou um dos ícones pop mais conhecidos de todos os tempos. Tempos atrás, uma artista com o sobrenome GaGa, por exemplo, começava sua carreira também com um trovão pintado no rosto.

23) Lady Gaga sobre a influência de David Bowie: “Eu olho para Bowie como um ícone na arte. Não é só sobre música. É sobre performance, atitude, visual. E assim que eu sou como artista”.

24) O trovão representava, segundo Bowie, a dualidade de uma mente esquizofrênica. Era uma homenagem do cantor para o irmão dele, Terry, que sofria de esquizofrenia. O nome “Alladin Sane”, por exemplo, significa “lad insane (garoto doido)”.

25) Um bom e pequeno exemplo de uma das milhões de homenagens ao “trovão de Bowie” está no filme canadense “C.R.A.Z.Y.”. Olha estre trecho quem nunca viu. E aqui o mal uso bagaceiro da obra.

26) “The Man Who Sold the World”, de 1970, é mais um dos mil clássicos do David Bowie. Nirvana fez uma famosa versão da música para um Unplugged da MTV e a cantora Lulu também fez o mesmo nos anos 70, mas o dela você não precisa clicar pra ver. Kkkkkkk

27) Bowie vendeu mais de 140 milhões de discos em toda sua carreira. Um fato importante, tá? Naquela época CDs eram chamados de disco e as pessoas costumavam comprar.

28) A poética, visual e inspiradora música “Life on Mars”, de 1971, é considerada uma das melhores composições de todos os tempos por inúmeras publicações. A BBC Radio chegou a falar que a música é uma mistura de “musical da Broadway com uma pintura de Salvador Dalí”.

29) É claro que “Life on Mars” ganhou um vídeo tão incrível quanto a faixa. Aliás, naquela época não exisita nem conceito de videoclipe. Eram feitos “promos”, mini filmes para divulgar as músicas na TV em alguns programas (Beatles, Sony and Cher, Pink Floyd, RollingStones faziam muito na época). Mas quem começou a criar essa história de imagem para a música, conceitos incríveis de videoclipe, personagens, alter-egos, etc., foi mesmo Bowie. Madonna, Michael Jackson e a MTV sabem muito bem disso.



30)
No Brasil, um dos hinos de David Bowie, “Starman”, é reconhecido por muitos ouvidos populares por causa da versão (ai, que vergonha!) da banda Nenhum de Nós chamada “Astronauta de Mármore”.

31) No cinema, o diretor Nicolas Roeg foi quem primeiro chamou Bowie para um papel na telona. Seu primeiro filme foi “O Homem Que Caiu na Terra (The Man Who Fell to Earth)”, em 1976.

32) “Velvet Goldmine” não é um filme estrelado por Bowie, nem autorizado por Bowie, mas é inspirado na trajetória dele, no glam rock dos anos 70, no relacionamento dele com Iggy Pop, Lou Reed, etc. Vale a pena ver quem nunca viu. É de 1998, dirigido por Todd Haynes e estrelado por Jonathan Rhys Meyers, Ewan McGregor e Christian Bale.

33) Pulano muitos anos, vem outra participação de Bowie no cinema e isso aqui acontece em “Zoolander”! Hahahaha!

34) Ah! Não posso deixar de falar da linda participação de David Bowie no desenho “Bob Esponja”. Ele é a voz do Rei do Atlantis SquarePantis.

35) Bowie também aparece no filme “O Grande Truque” ao lado de Hugh Jackman e Scarlet Johansson.

36) Ah! Bowie também aparece na pele de Pôncio Pilatos no filme de Martin Scorsese, “A Última Tentação de Cristo”.

37) Acima, uma foto de outra persona de Bowie, o Thin White Duke. Ele surgiu logo após Ziggy Stardust. A foto acima mostra bem como é este novo cara que chega com o álbum “Station to Station (1976)”: um homem elegant que agora traz um som mais funk e soul como o do hit “Young Americans” (abaixo).

38) Bowie só começou a emplacar hit nos EUA nesta época de “Thin White Duke”. Um dos primeiros sucessos nos Estados Unidos é a música “Fame”. A faixa é uma parceria dele com John Lennon. O cara cantou “Fame” até no Soul Train.

39) Ah! Quem foi criança nos anos 80 vai lembrar muito bem da participação de David Bowie no filme “Labirinto”. “You remind me of a baby. What baby? Baby with a power!”.

40) Em 1997, David Bowie revolucionou novamente ao lançar um single só na internet chamado “Telling Lies”. Um ano depois, ele lançava o provedor Bowienet. Quem tinha internet na época que a internet estava começando, tinha um canal de comunicação direto com Bowie. Era coisa linda.

41) Bowie desenha, pinta, é escultor, escritor e tem como artistas favoritos Tintoretto, John Bellany, Erich Heckel, Picasso e Michael Ray Charles.

42) A paixão por literatura inspirou “Diamond Dogs”, seu disco dos anos 70. O álbum é inspirado no romance apocalíptico de Orwell, “1984″. Por isso a capa do disco era totalmente louca e “fim do mundo”.

43) Bowie casou com a modelo somaliana Iman em 1992 e até hoje estão juntos. Eles têm uma filha chamada Alexandria Zahra Jones, que nasceu em 2000. O outro filho de Bowie, o cineasta Duncan Jones, é o cara que fez aquele filme bem legal chamado “Moon (2009)”.

44) Em 2004, Bowie foi operado no coração às pressas, na Alemanha. Tudo por causa de uma artéria obstruída.

45) Mais curiosidades… Bowie sofreu um “acidente horrível” com uma xicará de chá quando ele tinha 5 anos e por isso se recusa a tomar a bebida até hoje.

46) “Hunky Dory” (1971) é outro disco clássico de Bowie cheio de músicas poéticas pop e folk com críticas à sociedade. É neste disco que está o hit “Life on Mars?”, um divisor de águas da carreira do cantor.

47) Madonna sobre David Bowie neste vídeo: “Antes de ver David Bowie ao vivo, eu era só uma menina rebelde do interior. Ele mudou minha vida. Cresci com a música dele e foi o primeiro concerto de rock que vi. Eu tinha 15 anos, tinha acabado as aulas e eu me planejei por meses pra ir ao show. Na hora, meu pai proibiu, falou que era lugar perigoso, de roqueiros sujos e é claro que eu tinha que ir depois disso. Pedi carona e fui. Vi algo extraordinário, original e voltei pra casa como uma nova pessoa.”

48) Um trecho da letra de “Boys Keep Swinging” (clipe acima), do álbum “Lodger”, de 1979 (que também é da trilogia Berlim): “When you’re a boy/ You can wear a uniform/ When you’re a boy/ Other boys check you out”

49) Você sabia que o clipe de Blue Jean é parte do filme “Jazzin’ for Blue Jean”? O filme conta a história de um nerd loser interpretado por Bowie que quer conquistar uma garota e a leva para conhecer um artista de hip hop mega cool também interpretado por ele.

50)
“And these children that you spit on as they try to change their worlds, are immune to your consultations, they’re quite aware what they’re going through. Ch-ch-ch-ch-changes!”. “Changes”, um hino de David Bowie, gente! Uma das letras mais marcantes da carreira do cantor.



51)
A letra de “Changes” não só fala da geração moderna glam rock da época, mas é também um manifesto de Bowie em defesa da sua personalidade camaleônica, da ambiguidade sexual e mil outras inovações de estilo. Aliás, no clipe de “Changes” (acima), aquele ali sentadinho logo no começo vendo Bowie mexer no cabelo é Ringo Starr.

52) Bowie topa fazer participações especiais sensacionais em programas de televisão como esta! A cena rolou no programa “Extras”, do comediante britânico Ricky Gervais.

53) Duetos que a gente gostaria de esquecer: este do Mick Jagger com David Bowie com “Dancing in the Street”… O que é a dancinha, a roupa, a empolgação, a versão rock de um sucesso soul? Não curtimos, duplinha!

54) Dueto que nós adoramos relembrar: David Bowie cantando “Under Pressure” (acima) com Annie Lennox num tributo ao Queen. Coisa linda!

55) Aliás, “Under Pressure” é de 1981, do álbum “Hot Space” do Queen, mas é uma música feita em parceria na composição e nos vocais com David Bowie.

56) “Let’s Dance”, da década de 80, é alegre, dançante e festiva, mas o vídeo criado e filmado por David Mallet na Austrália é uma mensagem “direta e muito simples contra o racismo e a opressão”, segundo David Bowie.

57) A música “TCV15″, que está no álbum “Station To Station”, foi inspirada num sonho do Iggy Pop em que a namorada dele era comida por um aparelho de TV.

58) “China Girl” é mais uma música escrita por Bowie com a ajuda de Iggy Pop. Sim, é mais uma música sobre o uso de drogas. Ambos usavam heroína na época. A canção foi feita em 77, mas saiu no álbum “Let’s Dance” de 1985. “I feel a wreck without my, little china girl/ I hear her heart beating, loud as thunder”

59) Os EUA são meio burrões e não dão muito valor para Bowie, obviamente. Eles têm Elvis e gostam de falar que Bowie é o Elvis gringo, mas acho que o buraco é mais embaixo. Na verdade é porque Bowie sempre foi muito “europeu” e fazia muitas críticas aos EUA em suas músicas. Exemplo: “I’m Afraid of Americans”, de 1997, com o Nine Inch Nails de Trent Reznor, é uma crítica ao país. A letra repetitiva é proposital para dizer como os americanos são “programadinhos”.

60) Aliás, “I’m Afraid of Americans” está na era eletrônica de Bowie. O som que Prodigy e Underworld faziam na época conquistou Bowie e o cara lançou “Earthling” em 1997. Outro hit da época é “Little Wonder”.

61) “Heroes”. Eu prefiro não falar nada, sabe? A letra é romântica e ao mesmo tempo sombria, cheia de energia. A faixa é um ícone do rock, parte da Trilogia de Berlin de Bowie que eu falei lá no início… É só olhar para o clipe simples e direto para entender por que Bowie é muso. Depois é se jogar no chão e chorar.

62) Os três últimos CDs de Bowie: “hours…” (1999), “Heathen” (2002) e “Reality” (2003). Como diz um crítico da NME numa carta aberta para Bowie, “por favor, não aposente!”. “Mesmo com esses discos que fazem referências à sua própria carreira, você ainda é um zilhão de vezes mais inventivo, corajoso e brilhante que qualquer um”.

63) Sim! Vai ter um musical sobre ele. Recentemente, David Bowie cedeu os direitos de sua músicas, pela primeira vez, para o musical ‘Heroes: The Musical’, previsto para estrear em Londres em março de 2012.

64) “Eu não sei como vai ser o futuro, mas eu prometo que não vai ser chato”, David Bowie disse 15 anos atrás durante um show no Madison Square Garden.

65) Atualmente, David Bowie está “aposentado”, desgostoso com o mundo da música e não lança nada novo desde 2003. A última vez que ele subiu ao palco foi em 2006, com Alicia Keys, para cantar “Changes” num evento beneficente em Nova York.

Segundo o escritor Paul Trynka, que está escrevendo uma biografia sobre o cantor, talvez o astro do rock talvez nunca mais volte. “Seria um milagre se ele voltasse, mas milagres acontecem…”.

Comentários

Topo